Gestão e atuação prática em Arquitetura e Urbanismo

Arquitetos, urbanistas, paisagistas, designers, engenheiros, tecnólogos da construção civil, gestores, administradores, advogados, economistas.

09/08

Início da próxima turma
TER e QUI

Valores

VALORES

Valores* dos Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu – São Paulo
Valor do curso de R$ 32.659,00*
Primeira mensalidade de R$500,00* e o restante de acordo com o plano escolhido
OpçãoParcelas Mensais e ConsecutivasParcela a ser paga*Valor Final*
A36R$ 975,08R$ 35.102,88
B30R$ 1.153,74R$ 34.612,33
C24R$ 1.339,96R$ 32.158,93
D18R$ 1.786,61R$ 32.159,00
EÀ vistaR$ 27.252,47R$ 27.252,47

Por que fazer esse curso?

Atuar em arquitetura e urbanismo de forma ampla, diversa e completa exige que conhecimentos relacionados a: gestão de processos; gerencia econômico/financeiro; políticas públicas; direitos trabalhistas, autorais e contratuais; segurança do trabalho; perícia e coordenação, sejam incorporados à formação para um bom desempenho na concepção de projetos e execução de obras envolvendo, além da prática profissional, a prática empresarial.
O conhecimento e correta interpretação da legislação de projetos e obras e da legislação urbana é fundamental para ampliar a qualidade das edificações e dos espaços públicos, uma vez que se pauta como um agente regulador e promotor dos índices qualitativos e quantitativos em todas as escalas de atuação da arquitetura e urbanismo.
Os desafios que perpassam projetos de interiores, edificações, espaços públicos e concursos, entre outros, se alimentam da multidisciplinaridade, da troca de informações entre diversas áreas parceiras, o que faz do curso um espaço para profissionais oriundos de outras formações, e que queiram trabalhar junto aos temas afetos a arquitetura e urbanismo.

A MATRIZ

Disciplinas

HORAS

Os temas acessibilidade e mobilidade atualmente base para o correto desenvolvimento de um projeto. As questões que envolve acesso e liberdade de deslocamento perpassam por todos os níveis de projeto e, como premissa fundamental, na adequada realização de uma obra obedecendo corretamente as determinações dimensionais previstas e propostas no projeto.
Os empreendimentos têm como base garantir acessibilidade total e buscar no desenho universal o melhor desempenho e atendimento ao público para o qual é desenvolvido. As normas de acessibilidade e mobilidade ganharam o status de norma legal, uma vez que a aprovação de um projeto ou mesmo seu registro no órgão de classe exige o cumprimento das regras e recomendações definidas nas normas técnicas e nas diretrizes e regulamentos estabelecidos pelos Planos Nacionais dessa natureza. Conhecer, aplicar e até ampliar a garantia dos projetos serem acessíveis sob todos os aspectos a todas as pessoas, independentemente de suas dificuldades motoras, visuais, auditivas ou mentais é cada vez mais exigido na atividade prática profissional do arquiteto e urbanista.

Conteúdo
• norma de acessibilidade
• brasil acessível
• acessibilidade em vias públicas
• calçadas verdes
• mobilidade urbana
• sistema viário/ modos de transporte
• exercícios práticos

As avaliações e perícias são um vasto campo de atuação que envolvem um conhecimento técnico, artístico e criativo para avaliar ou periciar projetos, obras, edificações, marcas, símbolos e toda uma gama de trabalhos e produtos cujo desenvolvimento e realização estão afetos ao amplo escopo de atuação do arquiteto e urbanista. Entretanto tais atividades pressupõem não só o conhecimento profissional, mas também as normas específicas que envolvem a atividade.
A disciplina tem como proposta demonstrar as diversas possibilidades de atuação nesta área e apresentar as ferramentas necessárias ao bom desempenho do profissional na arte da avaliação de bens, considerando tanto imóveis urbanos, rurais, industriais, quanto objetos relativos à produção industrial, as marcas, bem como conhecer e se apropriar do instrumental necessário à realização de perícias judiciais e extrajudiciais, bastante comuns nos tribunais arbitrais.

Conteúdo
• avaliações de bens
• imóveis urbanos
• imóveis rurais
• imóveis industriais
• perícias judiciais e extrajudiciais
• justiça arbitral
• softwares específicos

 

Ao ingressar no mercado de trabalho, o profissional sempre se depara com questões trabalhistas quer seja como empregador, empregado ou autônomo. As regras das leis trabalhistas são muitas vezes complexas, considerando especialmente que mudanças ocorrem a cada tempo, implicando em dificuldades e desconhecimento delas tanto para contratar, quanto para ser contratado.
A proposta desta disciplina é, de forma prática, esclarecer as implicações legais que envolvem a estrutura trabalhista, num primeiro momento para o profissional empresário/empregador que irá contratar sua equipe para o desenvolvimento dos projetos, esclarecendo a sua responsabilidade legal e financeira do ponto de vista das normas trabalhistas para com seus colaboradores, resultando daí também as responsabilidades, os direitos e garantias trabalhistas dos colaboradores empregados, quer como CLT, quer como autônomo. No escopo da disciplina também se esclarece e orienta ao profissional como atuar do ponto de vista trabalhista com os colaboradores que são PJ individuais, cobrindo assim todo o quadro de possibilidades das relações de trabalho que podem ocorrer no desenvolvimento de um projeto ou na gestão de um escritório.
Conteúdo
• o profissional empregador: implicações legais com a estrutura trabalhista
• o profissional empregador: responsabilidade sobre seus colaboradores
• o profissional empregado: responsabilidades no desempenho do trabalho
• o profissional empregado: direitos e garantias trabalhistas
• o profissional autônomo: regras de empregabilidade
• o profissional autônomo: formas de contratação e de vinculação pelo trabalho

O Código de Ética profissional estabelece os parâmetros para o bom desempenho da profissão e define a forma de atuação profissional coerente com o que se propõe o arquiteto a executar em prol das pessoas e da sociedade. O conhecimento detalhado e discutido de forma ampla garante o bom desempenho do profissional e possibilita qualidade e responsabilidade à imagem da profissão. Paralelamente o conhecimento intrínseco dos princípios e amplitude do direito autoral, tanto no que diz respeito à sua vertente moral, quanto na questão patrimonial, faz-se necessário para garantir os direitos decorrentes da autoria de projetos.
O exercício da atividade profissional implica em conhecer não só os direitos, garantias e deveres do arquiteto e urbanista, mas também a legislação geral e específica da profissão, tal como a sua regulamentação, o seu conselho de classe profissional e quais são e como funcionam as associações ligadas à arquitetura e urbanismo e o sindicato e sua atuação em prol dos profissionais a ele vinculados.
Conteúdo
• ética profissional: princípios, responsabilidade e aplicações
• princípios e amplitude do direito autoral
• direito moral e direito patrimonial
• exercício da atividade profissional
• sindicatos, associações e CAU
• legislação geral e específica no desenvolvimento da profissão

O escritório é o espaço fundamental para o desenvolvimento do trabalho profissional do arquiteto e urbanista. Para que haja um bom desempenho no trabalho é fundamental que a estrutura funcional e a organização empresarial sejam gerenciadas de forma objetiva, eficiente e eficaz. Isto só ocorre se houver uma boa gestão econômica e contábil como alicerce para a manutenção de um ambiente tranquilo e bem-sucedido.

É objeto desta disciplina, além da identificação de infraestrutura necessária, quer física, quer virtual, para o funcionamento de um escritório, as questões relativas às relações com os profissionais responsáveis pelas diferentes atividades que envolvem um projeto e/ou uma obra, quanto com as equipes de trabalho, os clientes e o público em geral, cujo conhecimento da atuação do escritório/ empresa representam a perspectiva de obtenção de novos trabalhos.

Conteúdo
• Estrutura funcional
• estrutura da organização empresarial
• questões contábeis
• questões econômicas
• relacionamento interdisciplinar e coordenação de equipes
• atuação no mercado
• relacionamento com o cliente e o público

Gerir uma obra implica na organização de todos os elementos nela envolvidos: orçamento de materiais, mão de obra e equipamentos, tanto de custos quanto de lucro do profissional; planejamento das diversas etapas da construção, desde o tratamento no terreno até a entrega da obra ao cliente; coordenação dos elementos intervenientes, que implicam numa programação precisa de atuação da mão de obra em conjunto com o recebimento e aplicação dos materiais e a utilização de equipamentos específicos. O sucesso desta atividade resulta, após a organização dos elementos citados, da boa atuação tanto na operação quanto no controle do desenvolvimento da obra, obedecendo a planilhas, efetuando relatórios e prevendo questões e fatos intervenientes que irão dificultar a sua realização dentro do prazo, orçamento e condições previstas na contratação.

A disciplina se propõe a trazer ao aluno, de forma objetiva, o conhecimento e entendimento das diferentes atividades que envolvem o gerenciamento de uma obra de porte, tanto de forma teórica quanto desenvolvendo exercícios práticos de cada uma das etapas e elementos que envolvem o dia a dia do profissional na obra.

Conteúdo
• princípios básicos
• planejamento e orçamento da obra
• programação da obra
• operação e controle da obra
• contratação do gerenciamento de obra
• marketing
• exercícios de apoio

O desenvolvimento de projetos de arquitetura e urbanismo necessitam, em primeira instância, do desenvolvimento de um trabalho de composição de custos, envolvendo mão de obra, materiais, reuniões, visitas, legislação e identificação de variáveis que atendam ao interesse do cliente, antes do trabalho de prancheta. O desempenho de gerenciamento de projeto deve compreender a composição das despesas e receitas para a definição de preço, bem como das etapas de trabalho que incorrerão na definição dos aportes de recursos para a sua realização. Ao responsável pelo gerenciamento de um projeto compete ainda a coordenação entre os diversos projetos complementares com o projeto de arquitetura e/ou urbanismo, quer seja na organização e coordenação da equipe, quer seja na contratação de projetos complementares, bem como na apresentação da proposta comercial pelo escritório/empresa, considerando a importância de sua boa visualização pública para os clientes.

A abordagem desta disciplina visa esclarecer teoricamente e na prática todas as questões que envolvem a proposição de um projeto de porte, trazendo ao aluno o conhecimento necessário para desenvolver uma proposta de projeto, considerada a composição de custos (despesas, tempo, profissionais envolvidos) e a receita: o preço resultante. Através de exercícios práticos a disciplina propõe demonstrar, também, como ocorre a contratação e coordenação de projetos complementares e a utilização do marketing para oferta de serviços profissionais.

Conteúdo
• princípios básicos
• composição de custos de serviço
• composição de receita – cálculo do preço
• coordenação de projetos
• contratação de projetos
• BIM
• marketing de serviços profissionais
• exercícios de apoio

O arquiteto e urbanista, enquanto criador de projetos e gestor de obras e serviços, tem a necessidade de conhecer os limites legais que envolvem seu trabalho e sua responsabilidade perante a sociedade no que diz respeito à Lei Cível e à Lei Penal, no tocante à sua atuação como profissional cuja atividade pode pôr em risco o patrimônio, a saúde e mesmo a vida das pessoas para qual está idealizando ou construindo o espaço, quer seja de abrigo, trabalho ou lazer. O conhecimento da legislação é imprescindível para se precaver de eventual discussão jurídica sobre o seu trabalho ou serviço.
Um dos elementos fundamentais que permite total segurança nos seus direitos e nas suas responsabilidades, atém do conhecimento das principais leis que impõem as regras civis e penais (criminais e/ou administrativas), é correta elaboração dos contratos de execução do seu trabalho frente ao cliente – individual, empresarial ou público – tendo nesta disciplina o exercício prático de formulação de contratos que lhe garante o respaldo frente a legislação brasileira.
Conteúdo
• Penais: criminais, administrativas
• Cíveis: código do consumidor, código civil, legislação específica
• responsabilidade civil
• contratos em geral: estrutura básica, questões legais e administrativas
• exercícios práticos

O desenvolvimento de projetos e obras depende do conhecimento e atendimento à legislação específica relativa a obras edilícias de cada município – o Código de Obras e Edificações, bem como de normas especiais da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas e de normas especiais relativas ao tipo de edificação de equipamento urbano que será projetado e construído. Assim, escolas, hotéis, hospitais, aeroportos, terminais intermodais, entre outros, seguem normas e critérios específicos quer sejam emanadas de órgãos federais, estaduais e/ou municipais para a sua projetação. São também fundamentais, no desenvolvimento dos projetos, o atendimento às regras de acessibilidade, mobilidade e de segurança e prevenção de incêndios, representados por legislação especial.
Esta disciplina se propõe a apresentar um quadro completo de toda a legislação necessária ao bom desenvolvimento do projeto arquitetônico e à realização da obra, demonstrando através de dinâmica criativa todos os elementos envolvidos na adequada aprovação de projetos, quer seja de pequeno, quer seja de médio/grande porte, através de brainstorms, discussões objetivas e exercícios práticos para a busca da legislação necessária à sua realização.

Conteúdo
• princípios
• amplitude
• código de obras
• normas ABNT
• projetos especiais: escolas, hotéis, hospitais, aeroportos
• mobilidade
• segurança e prevenção de incêndios

No desenvolvimento de projetos urbanos, planos setoriais, planos diretores e planejamento de infraestrutura e transportes, muitas questões legais são base para a discussão, prognóstico, diagnóstico e proposição de soluções, consideradas aqui as várias escalas de atuação. O desenvolvimento de qualquer estudo, plano ou projeto implica no conhecimento das bases legais em que será fundamentada a pesquisa e proposição, considerando que “projetar o urbano” envolve também a proposição de legislação específica à aprovação do trabalho.
Tendo em vista que trabalhar com urbanismo não é uma tarefa que implica em só conhecer, mas, também, produzir legislação, a disciplina se propõe a demonstrar quais são, a priore, os caminhos que permitem absorver as determinações de cada uma das esferas governamentais para a prática urbana, bem como as temáticas que envolvem cada tipo de projeto a ser desenvolvido, trazendo ao aluno o conhecimento da estrutura básica de cada tipo de produto na esfera urbanística que envolve sua realização na prática.
Conteúdo
• princípios
• amplitude
• Planos: diretor, de desenvolvimento, setoriais
• projetos urbanísticos
• parcelamento do solo: insumos, aspectos econômicos
• gentrificação
• índices urbanísticos e dinâmica da paisagem

O licenciamento de projetos e obras envolve o conhecimento de todos os caminhos para se obter a aprovação de um projeto e a consequente liberação por alvarás da execução da obra. Dentro desta concepção propõe-se discutir as diversas escalas que podem ser assumidas na prática da projetação, considerando desde uma anistia legal até projetos complexos que envolvam questões ambientais e de segurança.
Entretanto a disciplina pretende ser mais abrangente no que diz respeito à atividade anterior ao projeto. A prospecção, dentro do mercado imobiliário, para a execução de empreendimentos de porte também implica em conhecimento mais apurado e detalhado tanto com relação à legislação urbana, ambiental e edilícia, quanto com a busca de terrenos e clientes. Nesse sentido serão desenvolvidos estudos de caso que abordarão a atuação no mercado imobiliário do profissional considerando sua capacitação para a viabilização de projetos com a busca de terrenos, mercado e clientes.
Conteúdo
• prospecção de empreendimentos imobiliários
• viabilização de projetos
• anistia legal
• certificação e documentação
• aprovação de um projeto e finalização da obra
• os diferentes níveis de aprovação de projetos e obras
• mercado imobiliário

A atuação do profissional arquiteto e urbanista, quando se trata de obras de vulto ou de obras públicas, sempre estará vinculada à resposta de um tipo de licitação ou de um concurso. Assim, para participar de contratos públicos sempre ocorrerá um tipo de licitação, normalmente vinculado ao valor estimado ou previsto do projeto e/ou obra, que pode ser convite, tomada de preço, concorrência pública, leilão ou concurso público. A cada modalidade as exigências tanto documentais quanto de capacidade econômica e/ou técnica podem ser maiores ou menores, dado o objeto da licitação. Da mesma forma é comum, atualmente, grandes empreendimentos privados fazerem uso de modalidades similares para a definição de elaboração de projetos ou de execução de obras.
Nesta disciplina propõe-se não só a informação de como funciona, na prática, cada modalidade de licitação, como também, através de estudos de caso, demonstrar ao aluno qual é o material necessário em tese para participar de uma licitação, envolvendo a documentação, as prerrogativas, a estrutura de atuação e a montagem de propostas para efetivar a sua participação em qualquer uma delas.

Conteúdo
• normas legais e regulamentos
• concorrências
• tomada de preços
• convite
• concurso
• leilão
• estudos de caso
• exercícios práticos

A disciplina tem como enfoque básico a “marca” do profissional, tanto do seu portifólio pessoal quanto do seu escritório ou empresa discutindo sua criação e gestão. A marca é hoje elemento chave na atratividade de mercado para o desenvolvimento de projetos e obras, uma vez que deve refletir a capacidade, conhecimento e criatividade do profissional e/ou sua empresa.
Discutir conceitos de branding, marketing e inovação é fundamental para melhorar ou mesmo dinamizar o desempenho profissional. Dentro deste mesmo contexto compreender, assimilar e saber manipular as mídias digitais, em toda a sua abrangência, na divulgação da marca, do trabalho e como ferramenta de publicidade é essencial na atual realidade que direciona a construção de escritórios virtuais em vista da globalização do trabalho do arquiteto e urbanista.

Conteúdo
• conceitos básicos
• criação e gestão da marca
• as mídias como divulgação da marca
• mídias digitais na divulgação do trabalho
• a utilização das mídias para o desenvolvimento do escritório virtual
• uso das mídias sociais como ferramenta de publicidade

A disciplina aborda os atuais desafios e as principais ferramentas da gestão urbana e do planejamento ambiental, envolvendo os principais instrumentos de gerenciamento e projeto ambiental, bem como discute os canais de análise, diagnóstico e proposições relativas ao zoneamento ambiental envolvido com o ordenamento físico-territorial, a gestão de unidades de conservação, a gestão de bacias hidrográficas e de mananciais, e os planos de desenvolvimento sustentável.
Tem ainda como objetivo evidenciar o papel dos principais atores responsáveis pelas políticas públicas de meio ambiente: federação, estados, municípios, e discutir a participação do setor privado e organizações não governamentais como novos atores no processo de gestão ambiental. Através de fóruns e exercícios práticos serão discutidos os principais documentos e processos de aprovação de estudos e projetos na área ambiental.
Conteúdo
• conceitos básicos
• uso do solo e preservação do meio ambiente
• código florestal
• licenciamento ambiental
• RAP / EIA / RIMA
• alvará e licença de funcionamento
• EIV/ RIV / RITT
• cota ambiental: características e condições de sua aplicação

A legislação sobre segurança do trabalho é, hoje, uma das mais complexas e exigentes. Tanto no que diz respeito à pessoa (o trabalhador da obra) quanto com relação ao espaço, à questão ambiental, às implicações de vizinhança, aos quesitos de saúde – insalubridade, periculosidade. A manutenção de um canteiro, especialmente em obras de médio e grande porte, segue normas rígidas com relação à higiene e saúde dos operários e a manutenção de documentação compatível com a sua segurança.
Nesta disciplina o aluno irá obter o conhecimento de todos os programas, serviços e exigências sobre a atuação dos trabalhadores na obra e, também, da logística de circulação e armazenamento de materiais e equipamentos, bem como da disposição de resíduos de recicláveis e inservíveis resultantes da obra.
Conteúdo
• PCMAT- programa de condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção
• SESMT – serviço especializado em segurança e medicina do trabalho
• EPI’s / EPC’s
• logística de circulação de materiais e trabalhadores na obra
• normas e legislação específica

Estudo sobre o projeto de Pesquisa. Análise de modelos de projetos. Estrutura do Projeto de Pesquisa.

Total

366

* Para poder iniciar as orientações para o TCC, é compulsório cursar e ser aprovado na disciplina “Metodologia da Pesquisa Científica”.
** As disciplinas optativas garantem um enriquecimento de conhecimento e currículo ao aluno que, além das disciplinas obrigatórias, irá optar por mais 2 disciplinas de outros cursos da Pós-Graduação.

OS PROFESSORES

COORDENAÇÃO

antonio.netto@belasartes.br

Currículo Lattes

Arquiteto e Urbanista pela FAU-USP; Mestre pela FAU-USP; Advogado pela Faculdade de Direito – USP (São Francisco); professor na graduação de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo; integrou a coordenação do curso de Arquitetura e Urbanismo da Belas Artes de jan/2012 a dez/2018. Experiência em Arquitetura e Urbanismo, com ênfase na área de Planejamento Urbano e Regional; na área de Projeto Urbano de Sistema Viário e Transportes; e na área de Acessibilidade e Mobilidade Urbana.

TOUR 360

Já vai embora?

Insira suas informações abaixo e receba nossas novidades